Frases da Síndrome de Down | Frases, Mensagens e Legendas

Ter síndrome de Down é como nascer normal. Eu sou igual a você e você é igual a mim. Todos nascemos de maneiras diferentes, é assim que posso descrever. Tenho uma vida normal.

Ter síndrome de Down não significa nada para mim, sou especial como todo mundo. Não deixo que as pessoas me julguem por ter síndrome de Down. O importante é como me sinto sobre mim mesmo. Por dentro, me sinto linda.

Acontece que a síndrome de Down é o distúrbio genético mais comum, ocorrendo uma vez em cada 800 nascimentos, e ninguém sabe realmente por que isso acontece. Simplesmente acontece.

As crianças com síndrome de Down são, em geral, bastante afetuosas e relativamente inocentes e, frequentemente, o apego a elas cresce e se aprofunda. E o significado que os pais encontram nisso cresce e se aprofunda.

Muitas pessoas com crianças pequenas ou bebês com síndrome de Down me dizem que não têm medo do futuro de seus filhos por causa do que estou fazendo para ajudar as pessoas a entendê-lo melhor.

Minha irmã mais nova, Cindy, tem síndrome de Down, e lembro que minha mãe passava horas e horas com ela, ensinando-a a amarrar os cadarços sozinha, fazendo tabuada com Cindy, praticando piano todos os dias com ela. Ninguém esperava que Cindy conseguisse um doutorado! Mas minha mãe queria que ela fosse o melhor que pudesse, dentro de seus limites.

Tenho dois filhos. Tenho um filho com síndrome de Down que amo muito e minha esposa que amo.

A América que conheço e amo não é aquela em que os meus pais ou o meu bebé com síndrome de Down terão de comparecer perante o “painel da morte” de Obama para que os seus burocratas possam decidir, com base num julgamento subjetivo do seu “nível de produtividade na sociedade’, se são dignos de cuidados de saúde. Tal sistema é totalmente maligno.

Sou Chris Martin, com síndrome de down

Adoro trabalhar em ‘Glee’ e espero que haja cada vez mais papéis para mim e para outros atores com síndrome de Down na televisão e no cinema, para que eu possa continuar trabalhando por muito, muito tempo.

Acredito que é minha responsabilidade fazer o que puder pelas crianças e pessoas com síndrome de Down, bem como pela minha terra natal, a República Dominicana.

A irmã mais nova da minha mãe nasceu com síndrome de Down. Eu era próximo da minha avó quando era criança. Lembro-me de conversar com minha avó sobre política, e ela me disse que votava regularmente nos democratas porque sabia que eles iriam cuidar de pessoas como sua filha. Isso também me impressionou.

[Loucura] acontecia com muita frequência. Acho que o que mais me deixou louco – e está no livro [Speaking Freely: A Memoir] – foi quando a Câmara e o Senado, em 1984, estavam debatendo um projeto de lei que iria – pelo menos atrasar e talvez impedir alguns dos ex- – execução sumária de crianças deficientes – bebês. E as crianças com síndrome de Down e outras crianças foram, em alguns casos, rotineiramente deixadas morrer, para usar o eufemismo.

Eu sou pai. O nome do meu filho é Max e o nome da minha filha é Billie Grace. Há doze anos, Max nasceu com Síndrome de Down. Sua jornada foi complicada por convulsões infantis, apnéia do sono, desafios alimentares e agora, a puberdade!

Recebo e-mails de pessoas de todo o mundo que me dizem que não entendem realmente a síndrome de Down, mas que por minha causa leram e estudaram sobre o assunto e agora sabem muito mais sobre o assunto.

É fácil ver o que muitas pessoas, especialmente as mulheres, admiram em Sarah Palin. Aqui está uma mãe de cinco filhos que pode ver o lado bom de ter um filho com síndrome de Down e ainda encontrar tempo e energia para governar o estado do Alasca.